Untitled Document


05-08-2017 19:56

IRRADIADOS PELA GLÓRIA

 

A liturgia desse domingo celebra a solenidade da Transfiguração do Senhor e, consequentemente, faz-nos ouvir o relato evangélico que narra o fato. Escutamo-lo conforme o evangelista Mateus.
Na perspectiva mateana, que escreve a judeus, Jesus é o messias esperado e d’Ele dão testemunho Moisés e Elias, ou seja, as Escrituras antigas. É n’Ele que se manifesta a glória de Deus, todo o Seu esplendor.  A glória do Senhor será manifestada, de modo especial, no mistério pascal de Jesus. Na sua paixão, morte e ressurreição, Jesus manifesta, não somente a grandeza do amor de Deus pelo homem, mais a força do seu poder que vence o mal.
Uma das mensagens centrais do texto da transfiguração é a da esperança. Àqueles que ouvem o seu relato, o Senhor quer infundir, coragem e força para vencer as dificuldades e tribulações que todos nós temos de enfrentar na vida, sobretudo quando fazemos a experiência da maldade em nosso existir. O mal não terá a última palavra na vida e na história da humanidade.
Para sermos irradiados pelo esplendor da glória divina, é necessário que “subamos a montanha”. Na Sagrada Escritura, a montanha é o lugar do encontro com Deus, onde é possível fazer a experiência de intimidade com o Senhor. É lá que o Senhor nos introduz nos seus pensamentos mais secretos.
Esse “subir a montanha” pode traduzir-se no cultivo da vida interior através da oração. É por meio dela que somos iluminados e irradiados pelo esplendor da glória de Deus. É, sobretudo, aqui que se faz possível obedecer a recomendação do Pai a respeito do Seu Filho Jesus: “escutai-o”.
Assim os nossos olhos se abrem e podemos contemplar a beleza do rosto divino que Se nos dá a conhecer. É a contemplação da beleza de Deus, a experiência do Seu amor que nos fazem ter olhos novos, que nos permitem ver para além da realidade cinzenta que, nos circunda.
É o Espírito que transfigura nossa mente e nosso coração. É somente n‘Ele que reconhecemos Jesus como Senhor, bem como é n’Ele que a vida divina vai conformando e configurando todo o nosso ser.
Impulsionados pelo Espírito, possamos descer a planície para ser testemunhas da Beleza que é o próprio Jesus. Dessa forma, possamos provocar encanto e a muitos a atrair para contemplar e Beleza sempre antiga e nova, como dizia Agostinho, e amá-La de todo coração.
Pe. Pedro Moraes Brito Júnior