Untitled Document


19-08-2017 16:35

A Assunção de Maria é nossa vitória!

 

A solenidade da Assunção de Nossa Senhora é uma ocasião para proclamarmos com Ela que o Senhor realizou em sua vida maravilhas. Também queremos proclamar que o Senhor realiza em nossas vidas grandes coisas no decorrer de nossa história e realizará, como em Maria, a grande maravilha da ressurreição com a consequente plenificação de todo o nosso ser espiritual e corpóreo.
No belíssimo encontro de Maria com sua prima Isabel, somos convidados, com elas, a exultar no Senhor. Ele é fiel e, bendito é aquele que crê na sua fidelidade como Maria. Em meio as vicissitudes da vida, queremos sempre acreditar e ter esperança.
A nossa vida não é fácil. Ela se assemelha a um combate. A cada dia, devemos lutar para vencer as forças do mal que se opõem ao projeto de Deus. A mulher do Apocalipse é figura de Maria, mas também representa todos os que creem, representa a humanidade que vive em meio a dores e conflitos.
A comunidade cristã, desde os seus primórdios, foi alvo de grandes perseguições. Teve que enfrentar a força do Dragão do império romano que levou muitos cristãos a sofrimentos e até à coroa do martírio.
Há, ainda hoje, muitos cristãos que são vítimas de perseguições e hostilidades. Mormente os cristãos do médio oriente têm sofrido provas atrozes em meio aos conflitos de guerras entre nações, grupos armados etc.
A vivência autêntica da fé cristã não está isenta de dificuldades e conflitos. Na verdade, estes são uma prova de que trilhamos verdadeiramente o caminho de Jesus. Ele é o homem da cruz e convidou-nos a segui-Lo, pondo como condição a aceitação dela.
Caminhamos, por conseguinte, lutando, batalhando para vencer as forças hostis. Estas estão em nós e fora de nós. A resistência começa no nosso interior do qual provem toda sorte de males. É preciso vencer os dragões que existem dentro de nós. Sem sombra de dúvida, o maior deles é o orgulho, raiz de todos os males.
Mas também existem as forças hostis que estão em nosso redor e que, por vezes, tomam uma feição concreta em estruturas maléficas. São grandes os desafios que devemos enfrentar: o consumo desenfreado que aniquila o mundo, a sede de dominar, a exploração de seres humanos, a corrupção, a injustiça, a pobreza que degrada e desumaniza as pessoas, somente para citar alguns desses males.
Diante de tudo isso, podemos perder o ânimo e achar que estamos vencidos pelo mal que campeia. Contudo, como Maria queremos proclamar que Deus “derruba do trono os poderosos”. Queremos com Ela acreditar e ter esperança na vida nova que já começa aqui neste mundo e que terá sua plenificação na eternidade. Nela isso é já realidade e conosco haverá de ser também.
 
Pe. Pedro Moraes Brito Júnior